Sexta-feira, 3 de Novembro de 2006

Mas o grande problema é que a maioria dos produtores de medronho não está

Authoridades ”apretam” produtores de medronho2006-10-18 | . - Até há poucas décadas, a aguardente de medronho constituía uma das três principais fontes de rendimento das populações da serra algarvia, juntamente com o queijo de cabra e o mel. O medronheiro ocupava uma extensa área do território serrano. Só para ter uma ideia, até aos anos 50, esta árvore de fruto abrangia cerca de 10 mil hectares do concelho de Monchique (25 por cento do território do município), tendo decrescido para menos de um terço actualmente. Os registos a que o nosso jornal teve acesso apontam para uma produção média de 500 a 600 mil litros de aguardente na área de Monchique, na década de 60, sendo a maior parte produzida para consumo próprio e só cerca de 36 por cento era destinada à venda no comércio. Com o passar dos anos, a produção de aguardente de medronho na região sofreu um forte decréscimo, tendo caído para um valor que oscila entre os 50 e 80 mil litros anuais, no início de 1980. Em 2001, segundo dados do Ministério da Economia, existiam apenas 266 produtores registados de aguardente de medronho, localizados, na sua maioria, nos concelhos de Loulé, Silves, Tavira e Monchique. Mas o grande problema é que a maioria dos produtores de medronho não está licenciada, apesar de o processo de legalização – que passou a ser responsabilidade das autarquias – ter sido lançado há cerca de dois anos.
medronho.bmpNome cientifico: Arbutus unedo O Medronheiro

Características do medronheiro:
O medronheiro é um arbusto ou pequena árvore de folha persistente (existem folhas na sua copa durante todo o ano). Esta árvore pode atingir os 8 a 10 m de altura, embora nos tenham informado que normalmente não passa dos 5 metros. O medronheiro possui ramos erectos e copa arredondada, dotada de um tronco coberto por uma casca castanha ou vermelha, fissurada que se desprende nas árvores já mais antigas.
As suas folhas são muito parecidas com as do loureiro e medem entre 4 a 11 cm de comprimento. As folhas, elípticas, apresentam uma cor cinzento - esverdeadas, não dentadas, de margens serradas, são brilhantes e enceradas. A parte superior da folha é mais escura e a inferior mais pálida.
As flores são brancas com toques cor de rosa, são flores pequenas que surgem no Outono em cachos pendentes de até 20 flores, entre os frutos do ano anterior.
Os frutos são uma baga redonda e verrugosa com aproximadamente 3 cm de diâmetro.

Os seus frutos surgem nos raminhos verdes dando cor à árvore, uma vez que nascem amarelos e progressivamente vão tornando-se vermelhos.
O Medronheiro desenvolve - se nos bosques, no mato e nas regiões rochosas, principalmente em solos ácidos, da Península Ibérica à Turquia.
Os frutos, bagas vermelhas comestíveis são utilizadas para fazer licores, aguardentes e conservas.
Em Portugal cultiva - se como árvore de fruto e como árvore ornamental, já que quando está carregadinha de frutos e flores é uma árvore muito bonita.

Utilizações:
O fruto é comestível e com ele pode-se preparar uma aguardente de excelente qualidade (aguardente de medronho). As folhas são usadas na medicina popular pelas suas propriedades diuréticas e anti-sépticas. As folhas e a casca são muito ricas em taninos e eram usadas para curtir peles. A sua madeira é apreciada para fabricar carvão vegetal.
O medronheiro é uma espécie relativamente comum aqui perto da nossa escola.
Esta espécie aparece, normalmente, com porte arbustivo, podendo no entanto, com a idade e quando as condições ecológicas são favoráveis, aparecer como pequena árvore.
Na Escola Nossa Senhora da Luz, em Arronches, existem pequenos medronheiros que com a sua beleza enfeitam e dão cor a toda a escola.
Atenção: Os medronhos são também famosos pela capacidade de provocar embriaguez e dor de cabeça a quem consome muitos, uma vez que quando maduros, possuem uma certa quantidade de álcool.
Curiosidades:
Aguardente do Medronho:


A aguardente de medronho (medronheira) é produzida a partir dos frutos com o mesmo nome (medronho) que se cultivam nas serranias do Algarve. Pode dizer-se que é uma bebida regional. No entanto também se produz noutras zonas do país, embora em menos quantidade.
A produção
A fruta é fermentada em tanques de madeira ou barro. Actualmente a fermentação também se faz em depósitos de cimento, mas só em destilarias de significativa dimensão. A fermentação é natural e dura entre trinta a sessenta dias. Os tanques devem ser cobertos com frutos esmagados para evitar o contacto com o ar. É necessário adicionar uma parte de água para cinco partes de fruta. Depois de fermentado o produto deve ser guardado durante sessenta dias e bem protegido do ar. Hoje em dia existem destilarias semi-industriais. No entanto, a melhor aguardente é aquela que é produzida por destilação descontínua (fogo directo).
Uma boa aguardente de medronho é transparente, com o cheiro e o gosto da fruta.
Nas montanhas, uma boa aguardente deve ter 50º.
No entanto a sua comercialização faz-se entre os 40º e 50º.
Envelhecimento
A qualidade da aguardente aumenta quando esta é amadurecida/envelhecida em barris durante oito anos. Este período de envelhecimento não deverá ser prolongado por mais tempo pois não terá qualquer efeito na qualidade da aguardente.
O medronho bebe-se, normalmente, com o café. Os puristas consideram que deve ser bebido à temperatura ambiente, embora algumas pessoas prefiram bebê-lo frio.
O famoso licor algarvio Brandymel é feito com medronho.
Uma lenda...
HISTÓRIA DO PEDIDO QUE O DIABO FEZ A DEUS
O Diabo julgava-se inteligente e andava sempre à espreita para ver se apanhava alguém distraído para pregar as suas partidas.
Um dia ele, pensando que Deus estivesse distraído, fez o seguinte pedido:
- Ó Senhor, vós que possuis tantas árvores oferecei-me duas, o medronheiro e a laranjeira.
O Senhor disse-lhe:
- Pede as árvores quando não tiver flor nem fruto.
Mas a laranjeira e o medronheiro têm sempre flor ou fruto, se calhar até as duas coisas ao mesmo tempo. Por causa disso, o Diabo nunca mais pode voltar a falar nessas duas árvores.
Trabalho realizado pelos meninos da Escola do 1º Ciclo de Hortas de Cima
publicado por Bocas-Verdes às 14:11
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Jose Luis Pereira a 22 de Março de 2007 às 16:09
Gostava que me explicassem se a agua que se junta para se fazer a fermentação(uma parte de agua para cinco partes de fruto), deve ser retirada para a fase seguinte ou seja os dois meses antes da destilação.(tempo em que o fruto não deve estar em contacto com o ar). Quem sabe?


De Luis a 19 de Fevereiro de 2011 às 19:01
Boa tarde.

Essa água fica à mesma. Ela vai ficar no caldo. E vai tudo junto para a caldeira, quando vai destilar.
Não tem problema.
Aliás na caldeira convém meter também águaa quando destila.

Cumps

Luis


De Zé do Monte a 12 de Dezembro de 2011 às 12:44
Boa Tarde,
Já agora uma pergunta, depois de fermentado e estado 2 meses em repouso vai para a caldeira, neste meu caso para um alambique de 25 litros,
Agora a pergunta qual a temperatura ideal a manter durante a distilação, visto o meu alambique ter termometro, a quantos graus começa a correr a aguardente?
Ouvi dizer que a primeira aguardente a sair não deverá ser comsumida? Verdade?
Por alguns aeclarecimentos sobre o processo ficaria muito grato. Estevão


De lzamba a 12 de Dezembro de 2011 às 13:09
Bom dia.
Vamos ver se consigo ajudar, visto onde destilo é numa Caldeira que não tem termómetro e de 7 arrobas.
Isto é como eu faço. . .
Primeiro de tudo coloco um balde de água na Caldeira. isto para encher o vazante, para a massa do medronho não ficar logo lá.
Depois coloco a massa do medronho, e água. A quantidade de água tem a ver como está a massa do medronho. Ou seja, não posso deixar muito espesso nem muito águado. Mexo tudo bem. Puxo fogo caldeira, e de vez em quanto vou mexendo.
Eu só encabeço, quando começa a ferver. Depois de encabeçado temos de controlar o lume de formar a que não seja muito forte. Isto para não correr o risco de queimar, nem para a aguardente sair muito depressa. Ou seja, controlar o fogo de forma a que quando rebente corra um fio pequeno e certo.
Eu normalmente sei quando ela vai começar a correr. É por exemplo quando colocamos a mão na cabeça da caldeira temos logo de tirar, porque não aguentamos o calor.
A primeira aguardente que sai é boa tal e qual como as próximas. O que vai acontecer é que se você não tiver o froxo (o resto da última destilação), a destilação vai render menos.
Por exemplo em vez de render 3 litros, dá apenas 1.
Não sei se ajudei em alguma coisa mas se precisar de ajuda é só dizer.
Cumprimentos
Luis
http://aguardente-medronhos.blogspot.com/



De Alfredo a 11 de Novembro de 2006 às 15:34
Vamos plantar medronheiros para o futuro.


De Ricardo Pires a 6 de Novembro de 2013 às 07:18
possuo algum terreno com medronheiros e posso plantar mais. Acha que vale a pena pensar em produzir uma maior quantidade de massa de medronho? é esta rentável ou terá saída? obrigado por me lerem, esperando uma resposta aguardo com espectativa.
RicardoPires


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
27
28

29
30


.posts recentes

. Como pode ser um País gov...

. Os políticos Portugueses ...

. "VELHO DITADO" CADA PAÍS...

. CHAVEIRA DE CARDIGOS CONV...

. TENHO SAUDADES DA MINHA T...

. Região do eucaliptal"

. Quinhentos metros de estr...

. Vila de Rei rejeita reord...

. Irene Barata queixa-se qu...

. MUNICÍPIOS NATUREZA E TEJ...

.arquivos

. Novembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds