Sábado, 20 de Outubro de 2007

A Delegação de Castelo Branco da ASAE prepara-se para mudar de instalações e reforçar os meios human

Sociedade Câmara procura novas instalações ASAE de Castelo Branco vai crescer O inspector-geral da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), António Nunes, anunciou na passada sexta-feira, dia 12 de Outubro, em Castelo Branco, que a delegação distrital vai crescer em termos de instalações e meios humanos. O anúncio foi feito durante um encontro com os empresários da região ligados ao sector da restauração e bebidas, promovido pela Associação da Restauração e Similares de Portugal (ARESP), que decorreu na Associação Empresarial da Região de Castelo Branco (Nercab). António Nunes adiantou aos jornalistas que a Delegação de Castelo Branco está à procura de novas instalações, e conta para isso com a colaboração da autarquia albicastrense. Isso mesmo é confirmado pelo presidente da Câmara de Castelo Branco. Contactado pelo Reconquista Joaquim Morão confirma que a ASAE necessita de novas instalações, uma vez que vai crescer em número de pessoas. “A Câmara Municipal comprometeu-se a encontrar dentro em breve uma solução”, adianta o autarca. Recorde-se que a zona de influência da delegação abarca os distritos de Castelo Branco, Guarda e concelho de Mação. Quatro mil sem licenciamento O encontro no Nercab permitiu esclarecer e debater com os empresários questões relacionadas com a nova legislação em vigor na área da segurança alimentar. “É uma legislação que é exigente demais”, queixa-se o presidente da direcção da ARESP, Mário Gonçalves. O responsável denunciou na sessão de apresentação a existência de quatro mil estabelecimentos que funcionam sem licenciamento da autarquia, na área do município de Lisboa. “Quem está a pagar a factura são os empresários do sector”. O inspector-geral da ASAE encerrou os trabalhos, e durante a sua intervenção alertou os empresários para terem cuidado com empresas que se dizem de consultoria e se apresentam nos estabelecimentos dizendo que têm relações privilegiadas com a ASAE, colocando mesmo um autocolante à porta. António Nunes disse aos empresários que no caso de serem confrontados com esse serviço “estão a ser enganados” e “gastam o seu dinheiro”. O caso já levou mesmo a detenções noutros pontos do país. A ARESP tem percorrido os distritos do país desde Junho passado, realizando iniciativas deste género, com a colaboração da ASAE. O auditório do Nercab encheu para assistir à sessão de sensibilização, o que motivou a satisfação dos organizadores da iniciativa. Autor: Nelson Mingacho 18-10-2007 18:01:50
publicado por Bocas-Verdes às 13:21
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
27
28

29
30


.posts recentes

. Como pode ser um País gov...

. Os políticos Portugueses ...

. "VELHO DITADO" CADA PAÍS...

. CHAVEIRA DE CARDIGOS CONV...

. TENHO SAUDADES DA MINHA T...

. Região do eucaliptal"

. Quinhentos metros de estr...

. Vila de Rei rejeita reord...

. Irene Barata queixa-se qu...

. MUNICÍPIOS NATUREZA E TEJ...

.arquivos

. Novembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds