Quinta-feira, 8 de Novembro de 2007

Ocupantes do automóvel envolvido no acidente da A23 são professores em Mação

As quatro pessoas que seguiam no Ford Fiesta que embateu no autocarro da Câmara de Castelo Branco e que esteve na origem do acidente segunda-feira na A23, de que resultaram 15 mortos, são professores da Escola EB 2,3/S de Mação e entraram de "baixa", disseram à Lusa fontes oficiais. Anteriormente, foi noticiado que no automóvel seguiam apenas duas pessoas, com base em informações de entidades envolvidas no socorro às vítimas do grave acidente, que causou a morte a 15 pessoas, além de vários feridos. Aquilino Neto, do Conselho Executivo da Escola EB 2,3/S de Mação afirmou tratar-se de quatro pessoas, todos professores naquela escola, que entretanto "meteram baixa por tempo indeterminado". O ambiente que se vive no estabelecimento de ensino é de "consternação e muito falatório", adiantou o responsável. As quatro vítimas (três mulheres e um homem) "estão muito abaladas com o sucedido e o seu regresso depende de factores aos quais este Conselho Executivo não pode nem sabe responder", disse também Aquilino Neto. O vereador com o Pelouro da Educação da Câmara de Mação disse à Lusa não ter sido contactado formalmente pelo Conselho Executivo da Escola sobre o sucedido e que até ao momento nenhum pedido de ajuda foi formulado à autarquia. "A informação ainda é pouco clara, mas existe um sentimento de consternação e também de preocupação para com as professoras que estão em estado de choque e que precisam de forte ajuda psicológica", referiu José Almeida. Segundo este responsável, "a situação está a ser acompanhada de perto, até porque quatro professores de baixa de uma só vez afecta uma quantidades imensa de alunos". Por sua vez, o presidente da Câmara de Mação, Saldanha Rocha, disse à Lusa estar preocupado com uma situação que classificou de "dramática" e "por ser com pessoas" que estão "ligadas" profissionalmente ao concelho. "Vamos estar particularmente atentos" - adiantou - "ao evoluir da situação e tentar sensibilizar as entidades responsáveis para que os alunos não fiquem sem professores durante muito tempo". Segundo disse, "é importante que os alunos se concentrem e que se retome quanto antes. "Os miúdos estão muito agitados e estão a pagar parte da factura, porque hoje tinham testes importantes para fazer que já não realizaram devido à baixa dos professores", disse ainda Saldanha Rocha. </p>

TIRADO DO JORNAL O MIRANTE.

publicado por Bocas-Verdes às 12:20
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
27
28

29
30


.posts recentes

. Como pode ser um País gov...

. Os políticos Portugueses ...

. "VELHO DITADO" CADA PAÍS...

. CHAVEIRA DE CARDIGOS CONV...

. TENHO SAUDADES DA MINHA T...

. Região do eucaliptal"

. Quinhentos metros de estr...

. Vila de Rei rejeita reord...

. Irene Barata queixa-se qu...

. MUNICÍPIOS NATUREZA E TEJ...

.arquivos

. Novembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds